Celulares equipados com telas maiores, recursos de música, vídeo e navegação pela Internet podem tentar conquistar parte da atenção que deve ser dedicada ao Apple iPhone, que chega ao mercado no mês que vem.Ainda que pouca gente tenha visto ou usado o novo aparelho, é possível que ele sirva para atrair a atenção dos consumidores a outros celulares sofisticados e caros, disseram executivos que participaram do Reuters Global Technology, Media and Telecoms Summit, esta semana.

“Uma das grandes vantagens do iPhone, para nós, é que ele aquecerá o mercado de música em celulares”, disse Denny Strigl, vice-presidente de operações da Verizon Communications .

“Nós já estamos presenciando maior interesse em música para celulares do que existia há um trimestre, e o setor está se preparando para isso”, afirmou.

A AT&T será única operadora de telefonia móvel norte-americana a vender o aparelho, pelos primeiros dois anos, ao menos. Ele concorrerá com celulares produzidos por Nokia, Sony Ericsson, Motorola, LG Electronics, Samsung, Palm, e pelas operadoras de telefonia móvel Sprint e Verizon.

Embora os chamados celulares inteligentes, que combinam recursos de música e outras mídias às funções de telefonia e dados, estejam disponíveis há anos, suas vendas continuam a representar apenas uma fração do mercado geral de celulares. Os aparelhos desse tipo são normalmente maiores e custam mais caro do que os modelos com preço médio.

“Nós fomos um dos primeiros a entrar no mercado de música, 18 meses atrás, e vem sendo muito difícil avançar”, afirmou Strigl, acrescentando que a Verizon lançará novos celulares multimídia para concorrer com o iPhone.

A um preço de entre US$ 500 e US$ 600, o custo do iPhone é visto como espetacularmente alto, o que poderia abrir as portas a fabricantes de celulares com modelos semelhantes.

Ainda assim a Apple, cujos players iPod e loja de música online iTunes dominam o mercado de música digital, antecipa vender 10 milhões de seus celulares em 2008.

Fonte: Estadão