Casa do futuro já é realidade no Brasil Que tal no caminho de volta para casa, você preparar um relaxante banho de ducha ou banheira na temperatura desejada e, ainda, controlar a iluminação dos ambientes por meio do celular? O que parecia cena de filmes de ficção agora já é uma realidade no Brasil, com o exemplo da “Casa do Futuro” mostrada pela empresa Ihouse nesta terça-feira, em São Paulo.

Prédios de alto padrão já oferecem o sistema de controle de funções como iluminação, ar condicionado, persianas e preparo do banho a longa distância de qualquer lugar do mundo. Basta possuir sinal para uso do celular conectado à Internet. A tecnologia é totalmente brasileira e pioneira no mundo, segundo Leonardo Senna, que desenvolveu o sistema com sua equipe de engenheiros.

Para entrar na “casa do futuro” é só encostar um de seus dedos no painel de controle, chamado smartdoor, para abrir a porta, acender as lâmpadas, ligar o ar condicionado e abrir as persianas de acordo com a programação escolhida. “Seus dedos viram memórias da sua casa”, afirma Senna.

A smartdoor permite programar o uso de diferentes dedos para acionar funções distintas. Por exemplo, o polegar além de abrir a porta, levanta as persianas e aciona o ar condicionado; o indicador liga a banheira, controla a temperatura e o volume de água e, também, joga as essências.

Os equipamentos criados pela empresa Ihouse são integrados por um sistema central, o smartcontrol. O aparelho é formado por uma tela touchscreen, de onde é possível selecionar a smarthydro ou a smartshower para preparar um banho ou controlar a smartsauna.

Todo este conforto está no controle de suas mãos com a utilização do celular, do computador ou de um computador portátil conectados à Internet. A Ihouse associa duas das mais modernas redes empregadas nos dias de hoje, a Ethernet e a CAN (Controller Área Network). Enquanto a Ethernet é utilizada em escritórios e residências para comunicação, a CAN é usada em aeronaves e carros de última geração. Já o celular tem de funcionar em rede CDMA ou GSM, isso varia conforme a operadora.

Outra grande novidade é o smartgate, ou seja, um sistema de câmeras ligado a um software que reconhece as placas dos carros dos moradores do condomínio e libera a cancela automaticamente. E para estacionar o veículo, o smartstop auxilia para evitar qualquer colisão, pois seu painel muda a luz do verde, passando pelo amarelo até chegar ao vermelho, sinalizando a distância mínima da parede.

O manuseio é simples porque no celular devidamente habilitado para as funções há um menu que não exige navegação. A assistência técnica também segue a lógica da praticidade, já que ela é realizada praticamente de maneira automática. Caso haja algum defeito em um equipamento, ele mesmo faz um autodiagnóstico e envia automaticamente um chamado para a assistência que, na maioria das vezes, sabe do problema antes mesmo do proprietário.

Já existem 400 imóveis vendidos com esta tecnologia nas cidades de São Paulo, Manaus, Rio de Janeiro e Florianópolis. Até o momento, o sistema é negociado com incorporadoras antes do lançamento do empreendimento para o público, mas a intenção é promover a venda também em associação com arquitetos.

O custo médio para ter uma “casa do futuro” é, de aproximadamente, 3% do empreendimento. Há pacotes com controle de iluminação e ar condicionado a partir de R$ 30 mil.

Fonte: iparaiba